Essa foi a palestra da Microsoft, sinceramente, espera mais. Pra começar o título não dizia nada, não dava pra saber sobre o que era. Até ai tudo bem, mas mesmo depois do final da palestra eu não sei do que se tratava ela.

Foi uma palestra toda confusa, que o palestrante nem se deu ao trabalho de preparar. Pra quem assiste uma palestra, ou aula, ou alguma coisa do gênero, fique atento, pois quando alguém faz como esse palestrante é que não se preparou. O que ele fez foi ficar falando superficialmente de vários tópicos, sempre dizendo “Vou falar disso melhor depois”, após vários “depois” ele acabou não falando nada e conseguiu estourar o tempo. Nota, eu sei que isso é uma característica de quem não se preparou, pois infelizmente eu já fiz isso. E isso acontece pela falta de uma sequência lógica na sua cabeça antes de começar a falar ou apresentar. Detalhe, ele falou do Live ID, que o terra estava usando, mas não conseguiu mostrar, só pra completar o vexame.

Lamentavelmente acabei vendo no que o visual studio se tornou, uma confusão só, que mais complica do que auxilia o desenvolvedor. Nessa hora me ocorreu a epifania, uma das coisas que eu tinha lido lido no Getting Real e tinha discordado era sobre ao planejar um sistema, faça as escolhas ao invés de deixá-las para o usuário. Ao ver o próprio funcionário da Microsoft se enrolar para aumentar a fonte, eu percebi o quanto eu gosto do emacs e do textmate, por falar nisso preciso arranjar uma grana pra pagar a licensa, pois o período de trial tá acabando.

Anúncios